quarta-feira, 24 de julho de 2013

Para Justiça, possível mentor da TelexFree é 'especialista' em pirâmides

Finanças

Para Justiça, possível mentor da TelexFree é 'especialista' em pirâmides

Sanderley Rodrigues já esteve envolvido em esquema de pirâmide em 2006 e aparece em vídeo como garoto-propaganda da Telexfree

Naiara Infante Bertão
Carro com marca da TelexFree na cidade Lucas do Rio Verde no estado do Mato Grosso
Carro com marca da TelexFree na cidade Lucas do Rio Verde, no Mato Grosso (Ivan Pacheco)
Na apuração sobre o caso da TelexFree, que corre em paralelo em diversas promotorias de defesa do consumidor do Brasil, o nome de Sanderley Rodrigues de Vasconcelos aparece como o possível mentor da empresa. A promotora Alessandra Garcia Marques, do Ministério Público do Acre, estado que determinou o congelamento das atividades e dos bens da TelexFree, disse que ainda não há provas concretas de que ele seja o idealizador do esquema, mas há fortes indícios. “O nome dele apareceu diversas vezes em nossa investigação e acreditamos que a investigação nos leve ao envolvimento dele com a empresa”, disse Alessandra ao site de VEJA.
Reprodução
Sanderley Rodrigues
Sanderley Rodrigues foi investigado pela SEC
Sanderley Rodrigues, apelidado de Sann, cresceu em Xapuri, Acre, mas ficou conhecido por sua empresa anterior, a Universo FoneCLub Corporation, fundada em parceria com Victor Sales Brito, nos Estados Unidos. A empresa, que também vendia o serviço de telefonia Voip - o mesmo comercializado pela TelexFree - em 2006 foi alvo de investigação da autoridade reguladora do mercado de capitais americana (a Securities and Exchange Comission, ou SEC, na sigla em inglês). À época, a empresa também foi acusada de criar pirâmide financeira - o que é considerado crime.
Com sede em Charlestown, Massachussets, a empresa foi fechada em 2006 e Sann teve os bens congelados. O dinheiro foi devolvido aos “investidores” ao longo dos três anos seguintes - e Sann Rodrigues foi inocentado porque provou que “não sabia que seu negócio, na verdade, era uma pirâmide.” Contudo, nem todos os investidores foram ressarcidos porque muitos estavam ilegalmente nos Estados Unidos e não procuraram a Justiça por medo de serem descobertos. Em reportagem da revista Forbes publicada em 2007, Sann Rodrigues é citado como um brasileiro que atraía para o esquema de pirâmide outros brasileiros vivendo nos Estados Unidos, sobretudo membros de igrejas evangélicas.
Garoto-propaganda - Sanderley Rodrigues aparece em um vídeo da TelexFree mostrando a sede da empresa nos Estados Unidos. No endereço divulgado - 225 Cedar Hill St Suite 200 Marlborough, MA 01752 -, porém, encontra-se um escritório virtual, que pode ser usado para aluguel de salas temporariamente. No vídeo, ele omite este fato e apresenta o local como se fosse todo da empresa, ressaltando sua estrutura. Contudo, no site da TelexFree.com, a sede mostrada fica no Brasil, em Vitória (ES).
Em outro vídeo, Rodrigues dá uma palestra sobre os benefícios de se investir na TelexFree. O vídeo foi reproduzido por diversos usuários do Youtube e mostra Rodrigues como o primeiro milionário da TelexFree dos Estados Unidos.

quinta-feira, 11 de julho de 2013

Tragédia em família

Tragédia em família

10 de julho de 2013 - 7:57:41

 Um acidente registrado na tarde desta quarta-feira, na Rodovia AC-10, mais conhecida como Estrada de Porto Acre vitimou os irmãos Adelfio Pereira de Souza 21 e Alderson Pereira de Souza 18, quando ambos iam resgatar o corpo do pai, que morrera no início da tarde em um derrubada.
acidente1
Jairo Carioca e Gleydison Meireles
Da redação de ac24horas – Rio Branco-AC

Três pessoas da mesma família morreram na tarde de hoje (10) na região de divisa entre Porto Acre-AC e o Amazonas. O primeiro acidente aconteceu na colocação Pirapora, no km 51, da estrada AC 10 – conhecida como estrada de Porto Acre -, no início da tarde. Em um desmate uma árvore caiu na cabeça Marinildo Pereira de Souza, 47. O segundo foi no final da tarde, por volta das 16h30, quando o veículo GOL – placa HVF 0065 -, que vinha sendo conduzido por Adelfino Pereira de Souza perdeu o controle e colidiu com a camionete tipo Hilux que era dirigida por Euzébio Teixeira Pereira. Os irmãos Adelfio Pereira de Souza 21 e Alderson Pereira de Souza 18, que iam buscar o corpo do pai, morreram no local do acidente. O motorista da camionete teve pequenas escoriações e foi conduzido ao Hospital de Urgência e Emergência.
De acordo informações de agentes de trânsito que atenderam a ocorrência, Adelfino e Alderson eram filhos do senhor Marinildo Pereira de Souza, que morreu vítima do acidente com uma árvore na colocação Pirapora que fica na região de Boca do Acre no Amazonas. Eles acompanhavam o veículo do Instituo Médico Legal (IML) que ia resgatar o trabalhador braçal, quando sofreram o acidente fatal.
Segundo o senhor Antônio José que passou na hora da colisão, o carro Gol conduzido por Adelfino perdeu o controle logo depois de uma ladeira, no km 22 da estrada de Porto Acre. O local tem um desnível no asfalto e não é sinalizado.
“A camionete não teve como evitar a colisão; ela já atingiu o Gol no teto, o carro já vinha se inclinando depois que perdeu o controle”, acrescentou José.
Seu José disse ainda que o impacto da colisão foi tão forte que o motor do Gol foi sacado para fora do carro. Adelfino e Alderson Pereira morreram no local e foram retirados do veículo com a ajuda de populares. O veículo do IML que ia buscar o corpo do pai das vitimas foi quem resgatou os corpos dos dois irmãos.
Euzébio Teixeira Pereira que dirigia a camionete passa bem. Os veículos foram retirados do local do acidente e a pista foi liberada.

segunda-feira, 1 de julho de 2013

Exclusiva com Carlos Costa - TelexFREE

Telexfree: com apoio de 12 estados, anunciantes fecham rua em Rio Branco


01/07/2013 13:25
Telexfree: com apoio de 12 estados, anunciantes fecham rua em Rio Branco
“Quanto mais força nós [divulgadores] ganharmos, mais rápido teremos uma decisão a nosso favor”, afirma divulgador.
Da Redação da Agência ContilNet
Nesta manhã (1º), por volta de 9 horas, teve início mais uma das várias manifestações já feitas por divulgadores da empresa Ympactus (conhecida pelo nome fantasia Telexfree).

A empresa, que teve a atuação no Brasil vetada pela juíza Thaís Borges, é apontada pelo Ministério Público do Estado do Acre(MPE) como promotora de um golpe denominado 'pirâmide financeira'.

Líderes da Telexfree em Rio Grande do Sul chegaram ao Acre nesta segunda-feira/Foto: Agência ContilNet
Líderes da Telexfree em Rio Grande do Sul chegaram ao Acre nesta segunda-feira/Foto: Agência ContilNet
O manifesto se deu em frente ao Fórum Barão do Rio Branco. De acordo com informações, divulgadores de 12 Estados já se encontram em território acreano para dar mais força ao manifesto dos divulgadores acreanos.

Shawke Lira, um dos maiores divulgadores no Acre, acredita que a força do manifesto pode abreviar o tempo para uma decisão favorável por parte da juíza.

“Quanto mais força nós [divulgadores]ganharmos, mais rápido teremos uma decisão a nosso favor”, afirma.


Manifestante de 12 estados estão no Acre/Foto: Agência ContilNet
Manifestante de 12 estados estão no Acre/Foto: Agência ContilNet
Segundo um dos organizadores de caravana e divulgador da Telexfree em Foz do Iguaçu, no Paraná, Josimar Fernandes, não há prejudicados na empresa e a decisão da juíza veio apenas para dificultar a vida de uma grande maioria de cidadãos que não têm emprego.

“Nós pagamos nossos impostos, somos cidadãos;temos pais de família impossibilitados de colocar comida nas suas mesas e muitas pessoas estão passando por privações graças à decisão dessa juíza”, afirma.

Josimar também diz que muitos desempregados foram os maiores prejudicados.

“Não tem emprego pra todo mundo, e essa juíza sabe disso. A decisão dela mexeu com a estrutura de várias famílias que sonhavam em sair da classe menos favorecida. A Telexfree veio para ajudar a todos”.


Divulgadores de Rondônia também estão presentes no manifesto. Segundo o divulgador e ‘líder de rede’ em Cacoal, Celso José, a união de vários brasileiros implicará positivamente na decisão da juíza.

“Essa vitória ninguém nos tira. Com todos unidos, iremos alcançar nosso objetivo, que não é somente de Cacoal, mas de todo o Brasil. Estamos confiantes nessa vitória”, relata, enfatizando que não teve nenhum prejuízo na empresa.

Questionado sobre quando será a volta para sua cidade, Celso é enfático: “Só sairemos daqui [do Acre] com a vitória garantida.”

Os manifestantes afirmam que não há data para cessarem os protestos, até que haja uma decisão favorável e todos possam retornar às suas atividades.