quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Hino do Acre - com imagens

terça-feira, 9 de outubro de 2012

Tragédia: família de médico sofre acidente e criança morre em Sena

09/10/2012 19:18
Tragédia: família de médico sofre acidente e criança morre em Sena
Uma criança de apenas 6 anos de idade foi a óbito; sua mãe e seu irmão ficaram feridos.
Edinaldo Gomes, da Agência ContilNet
O veículo Honda Civic preto, dirigido por Kalina Lima Diniz, de 38 anos, esposa do médico de Sena Madureira, Gilson Albuquerque, capotou no início da tarde dessa terça-feira (9), com os dois filhos do casal, um garoto de onze anos e uma menina de apenas seis anos.

Segundo as informações da Polícia Militar, o carro saiu da pista quando a motorista tentou desviar o carro de um buraco.

Em seguida, ela perdeu o controle do veículo, caindo numa ribanceira a 80 metros de distância do local do acidente.

Populares que passavam no local acionaram o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu), que realizaram o resgate dos feridos.

No Hospital João Cancio Fernandes, o médico plantonista era o esposo e pai das crianças, que ao se deparar com o fato tratou de realizar os primeiros socorros.

Devido à gravidade do acidente, a criança de seis anos, acabou não resistindo aos ferimentos, indo a óbito horas depois.

A esposa do médico e o filho de onze anos foram encaminhados para o Pronto Socorro de Rio Branco, onde já receberem atendimento especializado e estão fora de perigo.

sexta-feira, 5 de outubro de 2012

A MUDANÇA COMEÇA AGORA

  Com o slogan "A Mudança Começa Agora", está chegando o momento dos eleitores de Porto Acre-AC, se utilizar desta oportunidade, que é a  eleição municipal 2012, para concretizar a mudança. Mas, muito mais que isto, esta é uma oportunidade para Porto Acre experimentar um novo modelo de administração pública, já que nunca antes fora administrada pelo PSDB. Um modelo que deve estimular  a iniciativa privada na geração de empregos e renda, diminuindo o papel do Estado como único empregador. É um voto de cada eleitor que fará a diferença, mas que no  somatório fará uma enorme diferença! Portanto no próximo domingo leve para as urnas a esperança da mudança. E esteja confiante, porque confiança é contagiante. O primeiro ato para que as coisas possa melhorar,é a necessidade de acreditar na mudança.Se não houver esta crença, os problemas irão persistir. Por isso, domingo será o dia e o momento de se fazer a mudança, para melhor. Não tenho dúvidas que a população mais carente desta cidade, está ávida por uma mudança. Então no domingo, exerça a sua cidadania e procure plantar a mudança, para que haja dias melhores em nossa cidade. Você! Você! que vai votar sob pressão, esqueça a pressão, use seu raciocínio e escolha a mudança, pense que a mudança servirá para uma população, e o seu voto sob pressão, servirá apenas para alimentar o ego de algumas pessoas esfomeadas pelo poder! Nesta segunda-feira, uma nova Porto Acre estará nascendo, mas isto só acontecerá se você agir para essa mudança. Estarei torcendo muito, para que aconteça a vitória de Carlinhos da Saúde e Sérgio Baquer, são dois jovens que certamente mudarão os rumos da política de Porto Acre, doravante sua vitória. O futuro próximo da cidade está agora em nossos  votos. Não vamos deixar fugir a oportunidade que teremos domingo, dia 07, para votar por uma mudança melhor para todos. Essa mudança só virá através da pessoa de carlinhos da Saúde e seu vice Sérgio Baquer.

quarta-feira, 3 de outubro de 2012

Cassação de CRM de médico acreano pode levar Policia Federal a um esquema de revalidação falsa de diplomas com profissionais recém-formados na Bolívia

Cassação de CRM de médico acreano pode levar Policia Federal a um esquema de revalidação falsa de diplomas com profissionais recém-formados na Bolívia

13 de agosto de 2012 - 4:49:18
O médico acreano Anderson Luiz Rola da Silva teve seu CRM cassado pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Tocantins depois de apresentar documentação irregular no que tange a revalidação dos seus documentos de graduação no Brasil. O médico aceitou gravar entrevista com o ac24horas e disse que é vitima de uma quadrilha que age na revalidação de diplomas em todo o Brasil. A apostila de revalidação apresenta carimbos e assinaturas com selo de autenticidade da Universidade Federal do Ceará. “Eu e mais onze profissionais fomos vitimas desse esquema”, revelou o médico acreano.
A conversa foi gravada durante um almoço em um restaurante da capital. Anderson foi acompanhado de sua esposa e a filha, mas estava bastante nervoso. “Não sei se a Policia Federal está atrás de mim, mas estou disposto a colaborar porque sou vitima nesse processo”, comentou.
Anderson conta que após a conclusão do curso, deu entrada no Consulado Brasileiro no programa analítico e no histórico de notas, processo que autentica a documentação retirada da Bolívia e que verifica as condições do visto de estudante e a legitimidade da documentação junto à Faculdade.
O ESQUEMA ACONTECEU TODO VIA INTERNET
No Brasil, Anderson conta que foi orientado por um amigo [cujo nome ele garante revelar apenas em juízo] que “facilitaria” os serviços para revalidação no Estado de Goiás. Ainda segundo o médico, ele não desconfiou da fraude porque recebia documentos com carimbos e assinaturas dos reitores da Universidade Federal do Ceará. “Todos os documentos foram enviados e recebidos via Sedex, não tinha como desconfiar de nada”, argumentou.
A apostila de revalidação foi encaminhada ao médico no dia 04 de maio de 2012. Consta no documento o registro sob o nº 1250, livro E-25, fls 214, processo nº 24998/12-89, de acordo com o Art. 48, inciso 2º da Lei 9394/96 e foi assinado por Maria Cristina de Figueiredo Monteiro, diretora da divisão de Memória e Documentação [UFC] e o reitor Jesualdo Pereira Farias [ver fac-símile].
No dia 14 de maio o Conselho Regional de Medicina de Goiás certificou o registro do médico Anderson Luiz com número 16552/GO, ele também conseguiu registro no Conselho Regional de Medicina de Tocantins, dia 14 de junho de 2012, sob o número 2998/TO.
A DESCOBERTA DA FRAUDE:
Formado pela Universidade particular de Medicina da Bolívia, Anderson chegou a ser nomeado como diretor clinico do Hospital Municipal Hermínio Azevedo Soares, na cidade de Formoso do Araguaia, cerca de 330 km de Palmas.
A documentação do médico só foi colocada sob suspeita após a constatação de veracidade nas informações do seu diploma a partir do envio dos documentos pelo Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás para a Universidade Federal do Ceará (UFC), suposta instituição onde o médico acreano teria realizado o teste de revalidação.
Mas, segundo o ac24horas apurou, a investigação pela Policia Federal iniciou com a cassação do registro de um dos doze médicos citados por Anderson. Ele não revelou o nome do primeiro profissional que teve o diploma cassado. Computadores e documentos da Universidade Federal do Ceará foram levados pela Policia Federal do Estado do Ceará, que apura a formação de quadrilha. Ainda de acordo informações apuradas, as assinaturas que constam no diploma não eram condizentes com a do diretor e do setor administrativo da instituição. A partir da constatação, o Conselho Regional de Medicina do Estado de Goiás suspendeu o exercício da profissão do médico no Brasil.
A RESPOSTA DA UNIVERSIDADE:
No início da tarde o ac24horas entrou em contanto com a Universidade, através de sua assessoria informou que o médico acreano não se inscreveu para o processo de revalidação. Informa ainda que os processos não foram protocolados na Universidade Federal do Ceará. Além disso, a Universidade afirmou que as assinaturas não são verdadeiras e que o selo também não pertence à Universidade.
O médico foi notificado dia 23 de julho. Anderson não apresentou documentação regularizada dentro do prazo estipulado pelo CRM. O prazo venceu na última sexta-feira (10). Ele disse ao ac24horas que o documento lhe foi entregue no último dia do prazo para a comprovação dos seus documentos.
Procurado, o Conselho Regional de Medicina não deu respostas até a edição desta matéria.
 Da redação de ac24horas
Rio Branco, Acre

terça-feira, 2 de outubro de 2012

Major Rocha posta fotos de militantes petistas presos em flagrante correndo com mascas nas mãos

Major Rocha posta fotos de militantes petistas presos em flagrante correndo com mascas nas mãos

1 de outubro de 2012 - 9:57:12
O deputado Major Rocha, um dos coordenadores de campanha do candidato a prefeito de Rio Branco, Tião Bocalom (PSDB), acusado de “plantar provas” contra militantes petistas presos na sexta-feira por ato de agressão aos participantes de uma carreata do candidato tucano, publicou em sua página do Facebook uma foto que mostra o momento em que dois jovens correm com máscaras nas mãos.
Em reportagem publicada no jornal Página 20 deste domingo, os acusados dizem que estavam apenas com bandeiras e participando de um bandeiraço do 13 qundo foram presos e que o material de campanha do candidato Marcus Alexandre (PT) e as máscaras foram “plantadas” pelo deputado tucano que teria ainda, segundo os presos, induzido os policiais que fizeram a prisão em flagrante.
No Facebook Rocha escreve: “Estou tentando postar o vídeo com os santinhos do PT que foram presos em flagrante por tentar atrapalhar a carreata 45. Como o vídeo vai demorar um pouquinho, estou postando as fotos dos meliantes correndo com as máscaras na mão, aquelas mesmas máscaras que os mensaleiros do PT estão dizendo que eu levei para a delegacia. Olha a verdade aparecendo”.
fonte:ac24horas

ELEIÇÕES MUNICIPAIS 2012


Marcus Alexandre não consegue provar inocência em acusação de desvio de recursos da BR 364

segunda-feira, 1 de outubro de 2012

Berço do ambientalismo, Xapuri revive rixa de pecuaristas e seringueiros

30/09/2012 18:38 - Atualizado em 30/09/2012 18:38
Berço do ambientalismo, Xapuri revive rixa de pecuaristas e seringueiros
Um indício da estagnação econômica de cidade é que nenhum dos centos de haitianos que migraram para o Brasil via a fronteira acreana com a Bolívia e o Peru foi visto por lá.
Estrada que dá acesso ao município de Xapuri, conhecido como berço do ambientalismo/Foto: Uol
Estrada que dá acesso ao município de Xapuri, conhecido como berço do ambientalismo/Foto: Uol
A eleição municipal de 2012 em Xapuri é uma reedição da rivalidade local entre seringalistas (representados pelo PT) e pecuaristas (pelo PSDB). Contudo, nenhum dos dois setores econômicos antagônicos consegue garantir prosperidade para uma cidade que foi rica no ciclo da borracha e agora vive da “cultura do contracheque público” como tantas outras localidades brasileiras.

O UOL visitou Xapuri (a 174 km de Rio Branco) dentro do projeto UOL pelo Brasil --série de reportagens multimídia que percorre municípios em todos os Estados da federação durante a campanha eleitoral.

Nesse contexto, é revelador que a sede dos servidores municipais tenha servido de palco para a convenção que lançou a candidatura à reeleição do atual prefeito, o petista Bira Vasconcelos, um agrônomo que trabalhou muito tempo nas reservas extrativistas locais. Seu principal rival é o tucano Marcinho Miranda, um proprietário de pastagens e 150 cabeças de gado.

Um pessimismo geral ronda o futuro político e econômico na cidade. “É muita zoada aqui com tanto carro de som passando na rua. Para que quatro candidatos para prefeito em uma cidade pequena como esta?”, se queixa a doceira aposentada Maria Cosson. “E ninguém cuida da saúde aqui. Se ficar doente, tem que entrar em uma ambulância e ir para Rio Branco.”

Isso acontece na cidade onde nasceu Adib Jatene, emérito cardiologista e duas vezes ministro da Saúde. Lá vieram ao mundo também o ex-ministro e senador Jarbas Passarinho e o ex-jornalista Armando Nogueira (1927-2010). Mas era uma época em a região vivia da riqueza da extração do látex e a fabricação da borracha.

Casa de Chico Mendes, localizada no município de Xapuri, recebe inúmeros turistas até os dias de hoje
Casa de Chico Mendes, localizada no município de Xapuri, recebe inúmeros turistas até os dias de hoje
O próprio Acre se acoplou ao mapa nacional em 1904 graças aos seringueiros brasileiros que foram se internando nas florestas bolivianas. Até 1912, a região viveu o primeiro auge da borracha. A economia local voltou a ter novo auge na década de 1940, quando o país entra na Segunda Guerra Mundial (1939-45) e os “soldados da borracha” tiravam a seiva necessária em equipamentos bélicos.

“A vida na mata é a melhor que tem no mundo. A gente não sabia o que era rua e para se comunicar com o vizinho era só na base do tiro para o ar. Minha família tinha um roçado, e havia muita caça, mas o motor daquilo tudo era a borracha”, relembra Vicência da Costa, que hoje tem um restaurante em Xapuri. Ela recebe pensão por seu pai e seu marido terem sido “soldados da borracha” e foi a Brasília na cerimônia no início de setembro para a entrada dos seringueiros no panteão de heróis nacionais.

Visão da cidade de Xapuri
Visão da cidade de Xapuri
A história de Xapuri deu nova guinada durante o último regime militar (1964-1985) quando houve um esforço de povoamento das fronteiras brasileiras, com o deslocamento de colonos para derrubar a mata e cultivar a área. O problema é que a selva já era povoada por famílias seringalistas. Dali surgiu o conflito que até hoje é embate político-econômico por lá.

“Veio mais gente para matar do que para se apoderar da terra. Formamos mais matadores que trabalhadores”, resume Maria de Lourdes Santos, que foi assistente social do Incra (Instituto Nacional de Colonização e Reforma Agrária) na época da colonização da região.

Foi nesse cenário que surgiu o filho mais ilustre da terra, Chico Mendes, líder seringalista que foi assassinado em 1988 por sua luta para que a floresta amazônica continuasse em pé e virou um símbolo pela preservação da natureza. Ele foi vereador pelo MDB até 1980, ano em que fundou junto com Lula o PT, partido em que tentou, sem sucesso, se eleger deputado estadual em 1982 e 1986.

Igreja Católica de Xapuri, forte berço do catolicismo no Acre
Igreja Católica de Xapuri, forte berço do catolicismo no Acre
“O pessoal no seringal é 80% do PT. Foi o Chico que ensinou isso. Ele já avisava que ninguém come capim e que a vinda da pecuária ia ser uma desgraça para aqui”, afirma Sebastião Mendes, primo dele, que mora no Seringal Cachoeira, reserva extrativista que custou a vida de Chico Mendes (o fazendeiro Darly Alves da Silva tinha a área em seu nome, ameaçou o sindicalista após a desapropriação e foi condenado como mandante de sua morte).

O PT é atualmente situação em Xapuri e venceu três das últimas quatro eleições municipais. Melhor para o partido só no governo estadual: os petistas detêm desde 1999 sua maior hegemonia regional no país. As supremacias estadual e municipal têm seus impactos. Uma delas é a implantação de indústrias estatais para alavancar a economia.

Um exemplo é a indústria de preservativos Nátex, que compra o látex dos produtores locais, emprega 160 funcionários e vende praticamente toda a produção para o ministério da Saúde. Outro caso é a fábrica de pisos de madeira, que utiliza troncos vindos do manejo florestal de reservas extrativistas. A unidade retomou sua produção recentemente graças a um parceiro privado.

“Essas fábricas só ajudam o bolso deles. Aqui na cidade continua tudo parado”, sentencia a doceira Carmem Veloso, que vende desde biscoitos de castanhas a cremes de cupuaçu na rua principal. A atividade econômica dos opositores também não ajuda muito a mudar isso, afinal, a pecuária não emprega muita gente. À beira da BR-317, que leva à fronteira com o Peru, o que mais se vê são pastagens pontilhadas de zebus deitados. Mas peão não se avista.

A juventude costuma sair da cidade para estudar e não mais voltar para viver por lá. Já os seringueiros que deixaram a mata e tentaram a sorte em Xapuri e outras cidades tentam voltar. “Conheço muita gente que quer voltar, porque estão vivendo embaixo de lona. Pobre vive melhor aqui na floresta”, diz Sebastião Mendes.

Um indício da estagnação econômica de cidade é que nenhum dos centos de haitianos que migraram para o Brasil via a fronteira acreana com a Bolívia e o Peru foi visto por lá. A porta de entrada ao país foi a vizinha Brasiléia (apenas 60 km de distância de Xapuri). Para os imigrantes haitianos, Xapuri foi apenas um dos tantos nomes nas placas rodoviárias no caminho para São Paulo e outras cidades mais ao sul.
Fonte: