quinta-feira, 13 de dezembro de 2012

PF deverá prender 70 envolvidos em fraudes nos vestibulares de medicina

13/12/2012 00:08
PF deverá prender 70 envolvidos em fraudes nos vestibulares de medicina
A Operação Calouro é realizada nos estados de Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins, Rio Grande do Sul, Acre, Mato Grosso e Piauí e no Distrito Federal.
Da Redação da Agência ContilNet
As fraudes nos vestibulares do curso de medicina, ocorridas em várias universidades do País, deverá levar à prisão de quase cem pessoas. Em Rio Branco, um médico recém-formado no curso de medicina foi preso na tarde desta quarta-feira (12), quando tentava embarcar para o município de Piranhas, no estado de Goiás.

A operação realizada pela Polícia Federal, denominada "Calouro", deverá prender 70 pessoas ainda esta semana em diversos estados da federação. Somente nesta quarta, 46 envolvidos foram para a cadeia.

A quadrilha utilizava documentação falsa ou repassavam as respostas das questões por meio de equipamentos eletrônicos/Foto: Folha
A quadrilha utilizava documentação falsa ou repassavam as respostas das questões por meio de equipamentos eletrônicos/Foto: Folha
Nas investigações que duraram um ano e seis meses, a Polícia Federal descobriu que os grupos de criminosos - existe pelo menos dois no País - tinham pessoas especializadas em fazer provas no lugar dos verdadeiros candidatos. Eles utilizavam documentação falsa ou repassavam as respostas das questões por meio de equipamentos eletrônicos.

"A primeira opção custava entre R$ 45 mil e R$ 80 mil. Já o valor para a oferta de respostas, passadas por gabaritos codificados, variava entre R$ 25 mil a R$ 40 mil", diz um trecho de uma reportagem publicada pela Folha de São Paulo.

De acordo com o chefe do Núcleo de Inteligência Policial do Espírito Santo, Leonardo Damasceno, um desses grupos já atuavam em vários estados há mais de 20 anos.

O estado de Goiás foi onde a polícia encontrou mais pessoas envolvidoas, cerca de 20. No Distrito Federal foram presas quatro dos cinco investigados, e em São Paulo, mais quatro.

Ele diz que a quadrilha contava com profissionais de várias áreas para atuar na organização criminosa, como um engenheiro formado pelo Instituto m Tecnológico de Aeronáutica e também, um médico.

"Os "pilotos" eram os responsáveis por fazer as provas no lugar dos candidatos ou responder às questões rapidamente para enviá-las. Geralmente alunos de medicina de instituições federais, ganhavam por gabarito feito (cerca de R$ 10 mil) ou por candidato aprovado (R$ 5 mil cada)", diz a reportagem da Folha.

Segundo o jornal, havia ainda os "corretores" que "vendiam" a oferta de fraudes a vertibulando. Maioria deles, eram profissionais da área de saúde.

A Operação Calouro é realizada em 10 Estados --Goiás, Minas Gerais, Espírito Santo, Rio de Janeiro, São Paulo, Tocantins, Rio Grande do Sul, Acre, Mato Grosso e Piauí-- e no Distrito Federal. (Com informações de Jacyara Pianes, da Folha de São Paulo).
 Fonte:Agencia Contilnet

Nenhum comentário: