quinta-feira, 25 de agosto de 2011

ÍNDIA ACREANA DE 120 ANOS, PODE SER A MULHER MAIS VELHA DO MUNDO!



Índia acreana de 120 anos pode ser mulher mais velha do mundo
. De acordo com parentes, Lucimar é viúva, teve 10 filhos (apenas 3 vivos) e 22 netos.
A índia acreana Maria Lucimar Pereira pode ser a mulher mais velha do mundo. Ela foi localizada por uma agência do Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), que, de posse de documentos, concluiu que ela nasceu no dia 3 de setembro de 1890. Ou seja, a idosa tem 120 anos de idade. De acordo com parentes, Lucimar é viúva, teve 10 filhos (apenas 3 vivos) e 22 netos.

A matriarca é da etnia Huni Kui (Kaxinawá) e vive na aldeia Henê Nixia Namakia (terra indígena do Médio Enviara), localizada no antigo Seringal Curralinho, em Feijó.

Segundo um de seus netos, Ninawá Huni Kui, ela é bem lúcida, cria galinhas, carrega baldes d’água, mas é tímida. Ela foi vítima da colonização seringueira conhecida como ‘Correria’, que consistia em capturar indígenas à força para eles extraírem borracha.

O IX evento cultural do povo Huni Kui, que acontece entre 1º a 3 de setembro, vai comemorar, entre outras atividades, os 121 anos da anciã. “O seu nome verdadeiro é Parã Banu Bake Huni Kui”, destaca o neto Niwawá, que quer fortalecer as práticas tradicionais das comunidades de seu povo.

O fato de Lucimar ser a mulher mais velha do mundo ainda não chegou ao conhecimento dos editores do livro dos recordes, o Guinness Book. O livro ainda aponta que a mulher mais velha do mundo seria outra brasileira, Deolinda Soares Rodrigues, que tem 113 anos, e mora no interior de São Paulo.  A paulistana ganhou a posição após a mineira Maria Gomes Valentim, moradora de Carangola, que morreu em junho deste ano. Ela estava prestes a completar 115 anos. A índia acreana também supera em 6 anos a pessoa mais velha apontada na lista da enciclopédia virtual Wikipédia.

Fotos: A Gazeta do Acre
fonte:contilnet

quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Aleac apóia realização de plebiscitos em Nova Humaitá e Campinas


Política
17/08/2011 08:57
Aleac apóia realização de plebiscitos em Nova Humaitá e Campinas
Abandono por parte das autoridades municipais seria o principal motivo do pedido de emancipação de líderes.
O presidente da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Elson Santiago (PP), anunciou na sessão desta terça-feira, 16, que irá encaminhar nesta quarta-feira, 17, ofício ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) solicitando a realização de plebiscito para a emancipação política e administrativa das vilas Campinas do Acre, em Plácido de Castro e Nova Humaitá, em Porto Acre.

A decisão de apoiar a realização dos plebiscitos foi tomada depois da Mesa Diretora ser  alertada para o fato de que estes eventos foram aprovados pela Aleac em 1995, antes, portanto, da retirada da prerrogativa das assembléias estaduais em legislar sobre a criação de municípios.

De acordo com Elson Santiago, os plebiscitos para a emancipação de Campinas do Acre e Nova Humaitá só não foram realizados à época porque o então governador Orleir Cameli não disponibilizou os recursos necessários de R$ 200 mil. Na época, segundo Elson, também havia a disposição para emancipar o Segundo Distrito da Capital, que passaria a se chamar município de Pedro Paschoal.

O anúncio da realização dos plebiscitos foi feito ao encerramento de uma sessão especial com a participação de vereadores e comissões pró-emancipação das três vilas.

Abandono por parte das autoridades municipais seria o principal motivo do pedido de emancipação

 
Os representantes das vilas que pleiteiam emancipações têm como principal argumento a falta de atenção por parte das prefeituras a quem estão subordinadas.

O líder do movimento pela emancipação da Vila Campinas, o comerciante Gildomar Oliveira Gomes, conhecido como Charqueiro, conta que a localidade não tem sequer uma agência bancária para pagar a conta de luz. A vila possui pouco mais de 8 mil habitantes, e fica às margens da BR-364, a 60 km de Rio Branco rumo a Porto Velho.

“Na outra ponta da BR-364, nas proximidades de Cruzeiro do Sul, a Vila Santa Luzia, com 15 mil habitantes, quer ser a porta de entrada do Vale do Juruá”, defendeu o professor Nildson Costa, presidente da Comissão de Emancipação.   A vila possui atualmente 23,5 km de malha viária distribuídos por 30 ramais que serão transformados em ruas e bairros.

“Com a inauguração da ponte, que marca o fim de nosso isolamento, falta apenas a emancipação para sairmos do abandono e darmos lugar ao desenvolvimento econômico e melhoria da nossa qualidade de vida”, destacou.

A vereadora Jamislene  Vieira, de Plácido de Castro, lembrou que tomou parte da demarcação do território do futuro município de Campinas do Acre e não tem dúvidas de que basta sua emancipação para a chegada do sonhado crescimento econômico.

O vereador Paulino Barbosa, de Porto Acre, defendeu a criação do município de Nova Humaitá, lembrando que a causa tem o apoio de toda a população do município. Atualmente, segundo ele, Porto Acre é formado por quatro grandes vilas: Porto Acre, Vila do Incra, Vila Pia e Caquetá. O município de Nova Humaitá, de acordo com Paulinho, vai ter uma área maior do que Porto Acre e mais de mil quilômetros de ramais.
fonte:contilnet

Motorista perde o controle do carro e capota na estrada de Porto Acre

Motorista perde o controle do carro e capota na estrada de Porto Acre


DSC_0481Na tarde desta quarta-feira (17), o veículo conduzido por Elgenildo Bandeira da Silva 32 anos, capotou na estrada que dá acesso a cidade de Porto Acre.
O motorista que vinha de Porto Acre para Rio Branco, perdeu o controle do veículo e capotou. No carro além de Elgenildo, estava também, Aldemir Felix de Oliveira 66 anos e outro passageiro que não teve o nome revelado.
Duas viaturas do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência, SAMU, foram deslocadas ao local. Os passageiros sofreram ferimentos leves e o quadro é estável, já o condutor do veículo teve que ser entubado e seu estado e grave.
Somente nesses dois últimos dias, foram registrados quatro capotamentos, tanto em estradas federais como em estaduais.
fonte:digitalnet

sexta-feira, 12 de agosto de 2011

quinta-feira, 11 de agosto de 2011

11 DE AGOSTO - DIA DO ADVOGADO!


O Direito é a mais universal das aspirações humanas, pois sem ele não há organização social. O Advogado é o seu primeiro interprete. Se não considerares a tua, como a mais nobre da profissão sobre a Terra, abandona-a, porque não és Advogado.
11 de Agosto - Dia do Advogado


A comemoração do Dia do Advogado é uma tradição que remonta ao Primeiro Império no Brasil (1822-1831). Dom Pedro I, que havia proclamado a Independência do Brasil anos antes, queria que o novo país tivesse suas próprias leis.

Em 1824 é redigida a primeira Constituição brasileira. Mas não bastavam leis sem alguém que as executasse. Pensando nisso, o Imperador criou, no dia 11 de agosto de 1827, os dois primeiros cursos de Direito no país. Um foi inaugurado em Olinda, no Mosteiro de São Bento, e outro em São Paulo.

O respeito pela nova profissão era tão grande que comerciantes e donos de restaurante faziam questão de bancar a conta dos estudantes de Direito nesta data. Assim, nascia outra tradição: o Dia da Pendura. A cada ano, os futuros advogados enchiam bares e restaurantes para comemorar o seu dia. Deixando os comerciantes mais felizes e mais pobres.

Com o tempo, a tradição foi perdendo força, justamente pelo número cada vez maior de estudantes “comendo e bebendo de graça”. Segundo a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB), hoje são 1003 cursos de Direito no país. Mas a data permaneceu e ainda hoje há quem tente “sair de fininho” alegando o dia da pendura.

Pagando a conta ou não, este dia serve também para reflexão do papel do advogado na sociedade. Segundo o vice-presidente nacional da OAB, Aristoteles Atheniense, “a sociedade cobra do advogado ética, não só em palavras vãs, mas no exercício consciente da profissão que elegemos”.

Por tudo isso, a atividade do advogado é muito importante. Como estabelece a Constituição, em seu artigo 133: “o advogado é indispensável à administração da justiça, sendo inviolável por seus atos e manifestações no exercício da profissão, nos limites da lei”.
Fonte: portais porto web
tsp.'.


sábado, 6 de agosto de 2011

SAI JOBIM, ENTRA AMORIM..., E VOLTAM OS AVIÕES RAFALE!

SAI JOBIM, ENTRA AMORIM..., E VOLTAM OS AVIÕES RAFALE!

1. (07/01/10) `O barato às vezes sai caro`, diz Celso Amorim sobre caças. Amorim esteve em Paris para participar de seminário promovido pelo governo da França e realizado na Escola Militar. Na sua saída, o ministro falou à imprensa sobre a polêmica envolvendo a licitação FX-2 e, em especial, sobre os aviões Rafale, fabricados pela francesa Dassault e classificados pela FAB como terceira e última opção, na concorrência com o sueco Saab Gripen NG e com o norte-americano Boeing F/A-18 Super Hornet: "o barato às vezes sai caro".

2. (Reuters, 09/07/2011) O governo brasileiro não revisará as ofertas para a compra bilionária de jatos de combate antes do início do próximo ano, disse à agência de notícias Reuters neste sábado (9) o ministro da Defesa, Nelson Jobim. - Vamos examinar isso no início do próximo ano. Neste momento, estamos focados apenas na agenda doméstica. O ministro fez a declaração hoje durante um fórum empresarial no sul da França. No início do ano, Jobim já havia negado que o processo de compra de 36 caças para a FAB tenha sido reaberto - desmentindo informação que circulava à época, de que a concorrência foi ampliada para outros países além dos Estados Unidos, França e Suécia.

* * *

POR QUE NELSON JOBIM FORÇOU SUA SAÍDA DE MINISTRO?

1. Preliminar. O método de criar constrangimentos sucessivos à autoridade superior, de forma a justificar sua saída ou exoneração, faz parte da rotina das organizações e em todos os níveis. Mas, certamente, não ficou bem para o advogado constitucionalista, ex-deputado federal, ex-ministro, ex-ministro da Corte Suprema, e ministro da Defesa, utilizar desse expediente para conseguir seu afastamento. Num homem público de sua estatura, isso deveria ter sido feito com lealdade e diretamente à Presidente.

2. Mas, uma vez tomada essa decisão, caberia perguntar por que Nelson Jobim forçou sua própria saída. Afinal de contas, teria sido mais simples sair com o presidente Lula e deixar o cargo na transição de governo. Se não fez isso, é porque em janeiro queria permanecer e acreditava no novo governo. Portanto, dali para cá sua opinião mudou sobre a Presidente e sua capacidade de governar e sobre o governo e as circunstâncias.

3. As razões podem ser esses quatro vetores, um ou mais. O primeiro é a decepção com a Presidente, com sua capacidade de comando político, controle e de gestão. O segundo vetor seria a decepção com o próprio governo, com seus companheiros de ministério. Jobim teria achado o ministério de terceira linha e não quis permanecer entre seus pares. E que as limitações políticas impediriam a Presidente de melhorar a qualidade do ministério.

4. O terceiro vetor seriam as informações que detém através dos serviços militares de informação de sua pasta, que muito mais coisa vem por aí. E, finalmente, a projeção que os próximos anos vão ser muito difíceis para o governo federal pela crise que está aumentando a cada dia e, que com isso, o governo Dilma vai fracassar como fracassou o segundo governo FHC pela crise.

5. É possível que seja uma combinação de dois ou mais desses vetores. Mas, de qualquer maneira, um vetor estará presente em todas as hipóteses: a perda de confiança na capacidade da Presidente para gerir, controlar, coordenar politicamente...

* * *

NO MEIO MILITAR, SAÍDA DE NELSON JOBIM É BEM-VINDA!

(Estado de SP, 05) A demissão de Jobim do Ministério da Defesa, foi comemorada por militares de alta patente. Além da falta de prestígio, Jobim, por protagonizar polêmicas, expôs a pasta a uma agenda negativa. "Ele perdeu o apreço dos militares por suas atitudes", comentou um -quatro estrelas-, oficial general de posto mais elevado, ao comentar as declarações recentes de Jobim.

* * *

A PRIMEIRA DE NELSON JOBIM FOI EM JUNHO!

Nos 80 anos de FHC, Nelson Jobim citou Nelson Rodrigues ao dizer que antigamente os “idiotas chegavam devagar e ficavam quietos”, enquanto hoje eles “perderam a modéstia” e que é preciso “tolerá-los.

www.usinadeletras.com.br