terça-feira, 31 de maio de 2011

Tragédia: Criança de 12 anos mata padrasto com tiro de espingarda

Xapuri
30/05/2011 23:14
Tragédia: Criança de 12 anos mata padrasto com tiro de espingarda
Ela foi ouvida durante inquérito acompanhada pela mãe e um irmão, e em seguida liberada.
Luciano Tavares, para Agência ContilNet
Espingardas vêem sendo apreendidas pela polícia por uso ilegal/Foto:Arquivo
Espingardas vêem sendo apreendidas pela polícia por uso ilegal/Foto:Arquivo
Uma criança de 12 anos de idade matou o padrasto com um tiro de espingarda calibre 22, durante o final de semana em Xapuri, no seringal Albrace, colocação Bolívia.

O ato infracional da criança não foi a propósito, segundo inquérito policial.

O irmão do menor informou que o padrasto, Sebastião Dantas da Silva, e a criança tinham acabado de chegar em casa, de uma caçada.

Despercebidamente, Sebastião colocou a arma engatilhada em cima da mesa. O menor, ao brincar com a espingarda, disparou o tiro, que pegou na testa do padrasto. Ele morreu no local do incidente.

O caso foi apurado pela polícia, mas a criança não será apreendida. Ela foi ouvida durante inquérito acompanhada pela mãe e um irmão, e em seguida liberada.

Armas de fogo são permitidas para o uso de quem mora na zona rural para caça de subsistência, pelo Estatuto do Desarmamento, mas desde que registradas junto a Polícia Federal.

segunda-feira, 30 de maio de 2011

Rio Acre pode dividir cidade de Brasileia e área será da Bolívia


E-mailImprimirPDF
Degradação do principal manancial do Estado fará com que rio divida terras na fronteira
O segundo encontro internacional para discutir a degradação do rio Acre foi à Cobija na Bolívia, neste final de semana, e descobriu que um bairro de Brasiléia pode apartar-se e virar território boliviano. 

Se isso acontecesse, 428 famílias seriam afetadas, sendo que 30 delas perderiam as residências. 

O bairro Leonardo Barbosa, área periférica de Brasiléia, tem 200 hectares, e está abastecido com serviços públicos como água encanada, energia elétrica e escolas. 

Mas tudo isso pode ser perdido se as duas margens do rio Acre se juntarem. A região fica numa congruência, no qual o rio faz uma curva e retorna muito próximo. A descoberta foi feita pelo engenheiro boliviano, que tem escritório no Brasil, Oscar Soria.

Em 1997, quando fazia pesquisa para sua tese de mestrado, ele mostrou a proximidade dos barrancos e o risco do bairro ser separado. Na época, a distância de uma margem para outra era de 57 metros, mas atualmente é de 20 metros. E há um complicador a mais: na última cheia do rio, em janeiro, o barranco ficou completamente destruído, perdendo parte de sua base. 

A constatação preocupou os vereadores de Rio Branco, que estão realizando plenárias nos municípios cortados pelo rio Acre, em busca de soluções para os ataques que o manancial vem sofrendo. 

O primeiro encontro foi em Iñapari, no Peru. Durante este final de semana, as discussões se concentraram em Cobija, na Bolívia, contando com a participação de vereadores dos municípios dos dois países e o prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim.

Quadro caótico - Além das plenárias, os vereadores visitaram áreas criticas, onde o rio apresenta alto índice de degradação. Existem diversas redes de esgotos construídas pelo poder público, que são despejados diretamente no leito do rio. As comunidade ribeirinhas também apontam seus canos de sanitários diretos para o rio Acre.

As dragas de areia, principalmente de empresas bolivianas, ajudam a aumentar o problema de assoreamento. Elas estão espalhadas por toda a área do rio. Canos de esgotos e dragas se misturam, castigam o meio ambiente, e o rio não deixa barato. Ele também dá uma resposta.

Por toda margem, existem enormes fissuras. São nesses locais onde passam a água do esgoto. Os barrancos cedem, levando casas e tudo que tem pela frente. A rua da Goiaba, no centro de Brasileia, está sendo levada.  As residências que ficavam à margem foram levadas com a queda do barranco. Três enormes crateras ameaçam o restante das casas. 

Os moradores até construíram uma travessia. Foi em vão. Na última cheia, em janeiro, ela foi destruída. Tem morador que tenta reduzir o prejuízo, colocando placa de venda no imóvel, mas será que vende uma casa na iminência de ser tragada pelo barranco?

Saída de emergência - Durante o encontro, o engenheiro Oscar Soria apontou saídas emergenciais, que deram resultado em outras cidades bolivianas ameaçadas de serem tragadas pelo desbarrancamento. 

Com fotos, ele mostrou que é possível construir um muro de contenção, usando bambus e madeira. Outra saída seria pegar o material das dragas e jogar nos pontos críticos, com os anos, a areia protegeria o barranco. 
“O rio Acre tem correntezas para todos os lados, que atingem a parte inferior dos barrancos. Em Assis Brasil já foi constatado afastamento natural do rio, formando uma ilha”, alertou.

Luta antiga – A Promotora de Meio Ambiente, do Ministério Público Estadual, Mery Cristina do Amaral, já realizou e participou de diversas audiências públicas para discutir a situação do rio Acre. 

Tornou-se uma luta particular, mas os resultados nem sempre são otimistas. Para a promotora, que participou do evento, e foi uma das palestrantes, existem dois grandes problemas: a pecuária extensiva e a apropriação das nascentes que ficam nas áreas rurais. “Os proprietários rurais se acham donos dessa água”, explica Mery Cristina. 

A promotora e o prefeito Raimundo Angelim foram homenageados pela Prefeitura de Cobija, pelo trabalho de enfrentamento de degradação do rio Acre. A Conselheira Municipal de Cobija, Síngara Nunes, disse que Cobija não usa a água do rio Acre para consumo. 

Sígara explica que não dá para elaborar políticas públicas para salvar o rio. Existe uma grande instabilidade política na Bolívia e os gestores estão sempre mudando. 

“Quando alguém pensa em fazer alguma coisa logo está fora do cargo”, diz.

Volta no rio Acre - Os vereadores foram conhecer parte do problema do rio Acre. Pegaram um barco e passaram pelo centro comercial de Brasileia. Viram as enormes palafitas que seguram os comércios. Mesmo num barranco frágil, as pessoas se arriscam nessas construções, que ajudam a aumentar a degradação do rio.

Os parlamentares viram: pessoas pescando, tomando banho e a grande quantidade de canos. A única área sem casas na beira do rio é um espaço de 50 metros, mas é porque um incêndio dizimou toda a construção ali existente. No ano passado 16 comércios pegaram fogo, hoje, os comerciantes ainda reclamam que não foram indenizados.

Sem as casas e um muro de contenção,  quem reclama são os moradores do outro lado da rua que estão vendo o barranco sendo levado e as primeiras rachaduras.
Para o presidente da mesa diretora de Rio Branco, vereador Juracy Nogueira, a real situação do rio Acre trás problemas sociais de todas as montas. Como o poder público nunca fez nada, o rio vem sendo atacado, e as pessoas tomaram conta das margens, e quando acontece qualquer acidente, os gestores, terminam sendo responsáveis.
Busca de soluções - O encontro, que estuda a degradação do rio Acre, vai produzir um documento que será analisado numa grande plenária que será realizada em Rio Branco.

Aos deputados federais, senadores e ao governador serão entregues relatórios sobre a situação do rio e as saídas emergenciais.
Antes, será realizado mais um encontro no município amazonense de Boca do Acre, no Amazonas, última cidade cortada pelo rio.Os moradores desta cidade recebem grande parte das impurezas levadas pela correnteza. Reclamam que não existem mais peixes na região e a água contaminada está adoecendo as pessoas.

quarta-feira, 25 de maio de 2011

Caminhoneiros estão "ilhados" na 364



Caminhoneiros estão "ilhados" na 364

Qua, 25 de Maio de 2011 13:58
Oficialmente a Br 364, trecho entre Sena Madureira e Cruzeiro do Sul, não foi liberada para o tráfego de veículos. Mas desde a semana passada alguns caminhoneiros se arriscaram e decidiram enfrentar a estrada que apresenta muitos trechos em condições precárias.
ilhadosnabr_in1A aventura acabou em tormento para um grupo de seis caminhoneiros. Eles ficaram com seus caminhões atolados em um trecho próximo ao município de Feijó, na localidade conhecida como ponte do Maracajú.
Segundo informou o engenheiro do Deracre Raphael Vitório, a estrada está oficialmente fechada pelos próximos dois dias, e somente será autorizada a passagem dos carros,  caso a chuva dê uma trégua na região.
Na semana passada, quatro caminhões chegaram a Cruzeiro do Sul levando gêneros alimentícios.
O Governo do estado anunciou para o próximo mês a reabertura oficial da rodovia. A promessa do governo é a de que a partir desse ano a estrada não tenha o tráfego interrompido durante o período invernoso.
Jairo Barbosa - jbjurua@gmail.com

segunda-feira, 23 de maio de 2011

Prefeito de Porto Acre quer criar “trem da alegria”

Foto:Tadeu (Google).

Seg, 23 de Maio de 2011 08:43
Encontra-se tramitando na Câmara Municipal de Porto Acre, Projeto de Lei de autoria do executivo, através do Prefeito Zé Maria,  criando uma estrutura administrativa para municipalização  do trânsito em Porto Acre.
Por traz da boa idéia existe um verdadeiro "trem da alegria", uma vez que o prefeito do PT ganha 30 cargos para nomear ao seu bel prazer.
Segundo o projeto de Zé Maria, o custo anual para os cofres municipal é algo em torno de R$ 800.000,00  mil. Serão criadas as seguintes vagas:
Um coordenador;
um assessor jurídico;
sete (sic) diretorias;
vinte e uma chefias de setor.
O mais hilário de tudo é que no município existem pouco mais de mil veículos registrados.
Para a população, esta estrutura esta sendo criada com dois objetivos: arrecadar multas perseguindo os motoristas e motociclistas que transitam nos ramais e distribuição dos cargos entre os aliados políticos do prefeito Zé Maria.
Para relembrar, em Porto Acre, foi o município que na última eleição o candidato a presidente do Brasil, José Serra [PSDB] ganhou de Dilma [PT] com a segunda maior diferença proporcional, com mais de oitenta por cento dos votos e foi lá também que  João Correia, candidato derrotado ao senado pelo PMDB, ganhou de Jorge Viana, o que levou o Prefeito Ze Maria a uma reprimenda publica que causou um verdadeiro constrangimento ao prefeito e aos presentes na reunião de avaliação coordenada pelo senador Jorge Viana.
Da redação de ac24horas
Rio Branco, Acre

Náuas x Juventus: torcida se revolta com atuação de árbitro e jogo termina na bala

Náuas x Juventus: torcida se revolta com atuação de árbitro e jogo termina na bala

Seg, 23 de Maio de 2011 07:18
A partida entre Náuas e Juventus,realizada na noite domingo no estádio Arena do Juruá, em Cruzeiro do Sul, pela quinta rodada do estadual de futebol apena mais um jogo da competição onde estão envolvidos os interesses de ambos os times, com a equipe Juruá brigando para fugir da zona do rebaixamento.
jogo_arma_estadio_in1A partida em si, transcorria normalmente, com os visitantes abrindo o placar no primeiro tempo, com caio.
Veio a segunda etapa, e donos da casa , conseguiram a virada com dois gols de Bina. Com a vantagem no placar, o Náuas passou a administrar a partida. Quando jogo caminhava pro final, o árbitro Carlos Ronney, inexplicavelmente, determinou oito minutos de acréscimo. Foi o suficiente para inflamar a torcida.
Foi nesse tempo determinado pelo árbitro que o Juventus chegou ao gol de empate, com Jô marcando deixando tudo igual em 2 x 2.

Árbitro encerrou a partida antes do tempo previsto
Quando o Juventus empatou o jogo, haviam decorridos cinqüenta e um minutos. Como pelos acréscimos a partida iria até os cinqüenta três minutos, todos foram surpreendidos quando Carlos Ronney terminou o jogo faltando dois minutos do tempo de acréscimo.
A partir daí o que se viu foi uma situação de selvageria. Indignados, os torcedores passaram a xingar o árbitro, que imediatamente foi cercado pelo policiamento que estava no local. Para sair do campo de jogo, o árbitro precisava passar bem próximo da torcida, que passou a arremessar todo tipo de objeto em direção da arbitragem.
Os ânimos se exaltaram. De um lado a torcida querendo “acertar  “ as conta com Carlos Ronney. Do outro, a policia trabalhando para garantir a integridade física da arbitragem. Foram momentos de tensão.
Acuada, a arbitragem hesitou em sair do campo de jogo, mas como a torcida não parava de gritar, de inflamar, de protestar, a policia resolveu tirar os árbitros do gramado.
Sem escudos, equipamento se segurança essencial e fundamental para esse tipo de atividade, em si tratando de uma partida de futebol, um dos policiais usou uma mesa de plástico para tentar proteger o quarteto. Não adiantou. Maiores foram os protestos e as agressões de partiam da arquibancada. Para obrigar a torcida a recuar, os policiais atiraram contra a multidão. Em uma foto, pode-se notar que um policial usa um armamento pesado para atirar contra os torcedores.
A policia disparou balas á base de pimenta, que atingiram várias torcedores causando um tumulto geral. Alguns correram, outros que ficaram no raio de ação das balas, acabaram atingidos pelo gás, que provoca forte ardor nos olhos.
A correria foi geral. Crianças também foram atingidas. Enquanto nas arquibancadas os torcedores tentavam fugir do perigoso gás, a policia conduzia a arbitragem para o vestiário.
Mas as balas disparadas pela policia também fizeram vitimas entre os jogadores. O zagueiro Josinaldo chegou a desmaiar no vestiário.
Do lado de fora do estádio a revolta era geral. Torcedores protestavam criticavam a policia pela ação intempestiva. Esse foi o saldo negativo de uma partida de futebol do campeonato acreano.

Torcedores registraram queixa
Cerca de cinqüenta torcedores do Náuas estiveram na delegacia de Cruzeiro do Sul para registram queixa contra os policiais que estavam de serviço na Arena do Juruá. Eles acusavam a policia de negligencia e abuso de autoridade pela ação desastrosa registrada na noite de domingo.
Jairo Barbosa – jbjurua@gmail.com

sexta-feira, 20 de maio de 2011

Polícia investiga estupro de estudante em universidade do Acre

 

  Aluna de 19 anos de enfermagem ainda não registrou o caso, diz polícia.
Jovem foi abordada por dois homens armados em campus de Rio Branco.

Do G1, em São Paulo
A Polícia Civil do Acre abriu um inquérito para apurar o estupro que uma estudante sofreu dentro do campus da Universidade Federal do Acre (Ufac) na tarde de quinta-feira (19) em Rio Branco, a capital do estado. A vítima é uma estudante do curso de enfermagem da Ufac de 19 anos.
Familiares relataram que ela estava em um ponto de ônibus dentro do campus quando dois homens armados a obrigaram a entrar em um carro e a levaram para um local isolado, onde foi agredida e estuprada.
Segundo a assessoria de imprensa da Delegacia Geral do estado, a família da jovem ainda não procurou a polícia para registrar o caso. Mesmo assim, uma delegada determinou investigação pois o crime de estupro independe de provocação da vítima para ser apurado.
A estudante foi levada para um hospital logo após o fato. Ela ainda não prestou depoimento à polícia.
Investigadores estão tentando localizar câmeras de segurança que possam ajudar a identificar os criminosos.
 Foto:Google

quinta-feira, 19 de maio de 2011

AS DUAS PIRARARAS DO FAUSTINO!


Nome: Paulo Adalberto Gadelha
Apelido: Nego Faustino
Profissão: Pescador
End: Rua da Trincheira, Porto Acre-AC
"coloquei as linhas ontem no fim da tarde e hoje de manhã fui ver se tinha pegado algum peixe, dai eu vi a linha esticada feito corda de violão, demorou uns 30 minutos pra eu tirar da agua", disse o pescador!
São duas pirararas de aproximadamente 50 kg cada.

Nego Faustino como é conhecido em Porto Acre-AC, é um pescador licenciado de carteirinha, que leva vida molhando a minhoca. Isto porque ele é pescador, e quem é pescador, vive com a minhoca(isca) n'água, senão o seu ganha pão torna-se díficil. Mas como podemos ver as fotos, afirmamos que não é estória de pescador, porque este pesca e mostra o peixe.Hoje, fisgar um peixe deste tamanho no rio Acre é muito difícil, é como ganhar um trofeú, pois a cada dia que passa, a psicosidade do rio vai caindo de produção! O que nos leva a crer, que a devastação, e a pesca desordenada, aos poucos vai matando o velho Rio Acre!




Foto Marcelão.