segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Marcio Canuto e o "cachorro"

sábado, 26 de fevereiro de 2011

A cura do câncer da próstata está na floresta, garante seringueiro

O repórter Antonio Messias da Rádio Fm Feijó acompanhado de dois guias andou várias horas floresta a dentro em busca de achar o milagre da flores. Trata-se de uma resina do Jatobá, uma das maiores árvores da floresta amazônica.

Essa gigantesca árvore solta um líquido que com o tempo se transforma em uma resina
muito parecido com o breu. É raro encontrar, mas tem gente que passas dias em busca dessa resina, que eles chamam de milagre.

Segundo os homens que vivem na floresta o chá dessa resina é a única cura que eles encontraram para o câncer da próstata e qualquer outro tipo de inflamação.

A busca valeu à pena. O repórter Antonio Messias e seus guias encontraram 3 quilos dessa resina e um homem chama Joaquim do Nascimento Cruz, um ex-seringueiro de 67 anos que foi a Rio Branco e, segundo ele, os médicos constataram que estava com um tumor na próstata e sua situação estava complicada.

Ele voltou para o seringal, e dias depois um velho índio lhe ensinou a tomar o chá da resina do Jatobá. Três meses depois, Joaquim garante que não sentia mais nada.

Fonte:contilnet

sexta-feira, 25 de fevereiro de 2011

Ex-governador de Pando é levado para presídio de segurança máxima

Mesmo sem provas contra Leopoldo, foi deposto e preso até então na penitenciária de São Pedro em La Paz.

Leopoldo é ex-governador de Pando, na Bolívia
Leopoldo é ex-governador de Pando, na Bolívia
Por motivos desconhecidos segundo familiares, amigos e simpatizantes, foram tomados pelo anúncio da transferência do ex-governador de Pando, Leopoldo Fernandez, para uma penitenciária de segurança máxima de Chonchocoro, localizada nas montanhas ao redor de La Paz.

Leopoldo Fernandez foi deposto em 2008, depois de ser preso pelo Governo da Bolívia, o ter acusado de ser o responsável pela morte de vários camponeses pró-Evo no vilarejo de Porvenir, distante 32km de Cobija, onde pretendiam invadir a cidade e tirá-lo à força.

Mesmo sem provas contra Leopoldo, foi deposto e preso até então na penitenciária de São Pedro em La Paz. Várias autoridades e políticos ficaram chocados com a ação do Governo em levar o ex-político ao presídio sem que fosse julgado e condenado.

Tal ação, pode ter sido em represália as denuncias feitas pelo senador opositor Roger Pinto, de que aviões venezuelanos aterrissam e decolam sem controle, transportando armas e gases lacrimogênios no aeroporto de Cobija, na fronteira com o Acre.

Além de outras denuncias sobre um desvio de milhões de bolivianos por parte de uma advogada do governo. Tais fatos foram todos comprovados através de provas e levadas a imprensa causando revolta por parte de alguns Ministros.

Em solidariedade ao ex-governante e familiares, muitas pessoas realizaram greve de fome em praças e vigílias com orações e velas. Tal fato foi notícia em quase toda a imprensa do País e do mundo.eso até então na penitenciária de São Pedro em La Paz.
Fonte:"contilnet"

sábado, 19 de fevereiro de 2011

NOVO FUSO HORÁRIO DO ACRE.


Globo tenta anular fuso horário escolhido em referendo no Acre!
A Abert alega que o horário vigente foi instituído por lei ordinária que tramitou na Câmara e Senado e foi sancionada pelo presidente da República.
A Associação Brasileira das Emissoras de Rádio e Televisão (Abert) ameaça recorrer à Justiça para tentar impedir a população do Acre de voltar a conviver com a hora antiga do Estado, isto é, de duas horas de diferença em relação ao horário de Brasília.
No ano passado, a Justiça Eleitoral gastou mais de R$ 1 milhão com a realização de um referendo no Acre, quando os  eleitores decidiram pela mudança do fuso horário. Porém, a Rede Globo e a Rede Amazônica de Televisão até agora não se conformaram com o resultado.(Fonte:"Contilnet").
O Acre parece um fantoche, todos querendo manipular, só que em interesses próprios. Vejamos: A Globo, juntamente com a Abert(vide acima), tenta impedir o retorno do antigo fuso horário referendado pela população do Acre, com um gasto de R$ 1 milhão, efetuado pela Justiça Eleitoral. A Abert deveria se preocupar em investir no estado, procurando esmerar o jornalismo, trazer cursos, para geração de emprego e renda, a esta clientela que está se comprometendo com a comunicação no estado do Acre, impor uma grade de programação  mais adequada para a Nação brasileira. Para a Abert fica o repúdio dos acrianos que referendaram o retorno do antigo horário. Mas o interesse maior da Abert, é devido as transmissões de programas, que não podem ser exibidos nos horários incompatíveis com a lei. Enquanto este horário que foi imposto abertamente aos acrianos não mudar, as redes de televisão estão satisfeitas, pois podem jogar no ar sua programação a bel prazer, faturando milhões para seus grupos de comunicação! Mas acredito que a Justiça Eleitoral, através de sua corte maior, deverá fazer valer a lei eleitoral deste país, sobrepondo-se a Abert! A Rede Globo e a Rede Amazônica, que tem a maior fatia no mercado de comunicação no Acre, são as mais interessadas em perpetuar este fuso horário vigente. Justiça neles!!!!!!!!tsp.'.

FURTO À CASA DE CARNE DO XARÁ

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Maçons fazem conferência em Rio Branco em julho de 2012

Evento reunirá membros das maçonarias de todo o Brasil e do estrangeiro
Mais de um mil maçons virão a Rio Branco participar da LXI Assembleia Ordinária da Confederação da Maçonaria Simbólica do Brasil (CMSB). A data para a realização do evento foi escolhida: será de 7 a 11 de julho do próximo ano.

A escolha da data foi definida em reunião entre os grão-mestre da Grande Loja Maçônica do Estado do Acre (Gleac), Pedro Longo, e o prefeito de Rio Branco, Raimundo Angelim (PT), no início do mês.

A CMSB deve reunir na capital acreana comitivas de todos os estados brasileiros e cerca de 30 delegações estrangeiras, especialmente da América Latina, Caribe e Estados Unidos.

Parceiro desde o primeiro momento para a realização do evento, Raimundo Angelim reiterou o compromisso com a Maçonaria Brasileira e frisou que a estrutura municipal vai contribuir ao máximo para que os participantes se sintam em casa, destacando a hospitalidade do povo acreano.

O grão-mestre Pedro Longo apresentou um esboço das primeiras providências que estão sendo adotadas para assegurar o sucesso do evento, especialmente no que se refere ao bloqueio de vagas na rede hoteleira e reservas dos locais que sediarão o congresso.

“Em breve formaremos uma comissão permanente para adotar as diligências cabíveis. Esse é um evento que vai trazer recursos para a nossa capital, principalmente no setor de serviço”, explicou Longo.

Entenda a escolha e a CMSB
Rio Branco foi escolhida como sede da XLI CMSB durante evento semelhante realizado ano passado em Belém do Pará, quando os 27 Grão-Mestres das Grandes Lojas Maçônicas de todos os Estados do Brasil aprovaram, por unanimidade, a capital do Acre para sediar o evento.

Dois fatores foram decisivos para a escolha da capital acreana. Um deles foi a presença do prefeito Raimundo Angelim.

Angelim acompanhou a comitiva acreana formada por 30 pessoas e, num pronunciamento incisivo sobre as condições de Rio Branco sediar a Assembleia, sensibilizou todos os presentes.

Outro fator importante para a escolha é respeito nacional que a Maçonaria Acreana conquistou em razão das eficientes gestões dos ex-Grão-Mestres Vanderlei Freitas Valente e Luiz Saraiva Correia.

No encontro, os maçons e suas famílias se reúnem para debater temas como ética na política, desenvolvimento econômico e social, defesa da Amazônia, projetos de articulação e logística nacional, meio ambiente, desenvolvimento dos valores da família, tudo sobre a ótica dos postulados centenários da liberdade, igualdade e fraternidade.

A elaboração do projeto acreano se iniciou em janeiro de 2010, e contou com a participação de todas as Lojas jurisdicionadas, além da contribuição de especialistas como o empresário George Pinheiro.

Fonte:

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Dono de jornal acreano sofre acidente na AC-40 na noite desta quarta 16.02.11

Dantinha como é conhecido no meio, é natural de Brasiléia-AC, filho do ex-prefeito(in-memorium) Elson Dantas, e ex-funci do Banco do Brasil S.A,  hoje é dono do Jornal Página 20.
 O dono do jornal Página 20, Élson Dantas, que conduzia um Fiat, de placas NAA 1427, colidiu na noite desta quarta feira (16) na traseira de um ônibus que estava parado na rodovia AC-40.

Segundo informações do motorista do ônibus, ele estava aguardando os passageiros descer quando ouviu a pancada na traseira.

O carro do empresário, que estava só, ficou totalmente destruído.

No local, foi acionada até uma equipe do Corpo de Bombeiros, apesar de o empresário não ter ficado preso às ferragens. Ele foi socorrido por uma ambulância do Samu e encaminhado ao Pronto-Socorro.

De acordo com os médicos que receberam a vítima no Pronto-Socorro, o estado de saúde é estável.


fonte:contilnet



SALÁRIO MÍNIMO!!!!????

16/02/2011 23:14 - Atualizado em 16/02/2011 23:24
Conheça o voto dos deputados acreanos sobre o reajuste do mínimo
Em votação simbólica, a Câmara dos Deputados aprovou no final da noite desta quinta-feira (16) o reajuste do salário mínimo para R$ 545. O projeto segue agora para o Senado e, se aprovado neste mês, passa a vigorar em março.

Durante a sessão, os parlamentares colocaram em votação nominal a emenda apresentada pelo PSDB para elevar o salário mínimo para R$ 600 --que foi negada por 376 votos; outros 106 parlamentares foram a favor e sete se abstiveram. Veja como cada deputado se posicionou sobre a questão.

NÃO
Perpétua Almeida (PcdoB)        

Flaviano Melo (PMDB)         

Gladson Cameli (PP)            

Antônia Lúcia (PSC)              

Sibá Machado (PT)             

Taumaturgo Lima (PT)        


SIM
Márcio Bittar (PSDB)

Henrique Afonso (PV)  
Fonte:

sábado, 12 de fevereiro de 2011

Prefeitura de Porto Acre é acusada de construir pontes com castanheiras

Porto Acre
12/02/2011 12:44 - Atualizado em 12/02/2011 13:33
Prefeitura de Porto Acre é acusada de construir pontes com castanheiras
Um morador da região confessou que um de seus cunhados foi contratado pela prefeitura de Porto Acre para retirar a castanheira e fazer a ponte.
Adailson Oliveira
O crime foi denunciado pela TV Gazeta/Imagens: Josué Martins
O crime foi denunciado pela TV Gazeta/Imagens: Josué Martins
Pontes do ramal do Caquetá no município de Porto Acre, há 60 quilômetros de Rio Branco, estão sendo construídas com madeira retirada de Castanheiras. A constatação foi feita nesta quinta-feira quando fiscais do Ibama uma equipe de reportagem da TV Gazeta foram apurar uma denúncia. No local não foram encontrados os trabalhadores, mas as obras são de responsabilidade da Prefeitura de Porto Acre, que está recuperando as pontes.
Logo na entrada da linha 1 encontramos a primeira ponte feita de castanheira. Os fiscais não tiveram muito trabalho para identificar a madeira, a coloração e uma resina escura indicavam que a madeira era castanheira. 70 pranchas de 4 metros foram cortadas com motosserra. A parte de baixo também era uma castanheira cortada ao meio, uma árvore inteira foi usada para fazer a ponte.
No ramal da linha 4 encontramos a segunda ponte com  as mesmas características,  mais uma castanheira foi derrubada. O modelo de construção indicava que foi a mesma pessoa que construiu.
Um morador da região confessou que um de seus cunhados foi contratado pela prefeitura de Porto Acre para retirar a castanheira e fazer a ponte reclamou: “Ele ficou dois meses para receber o pagamento, e, cortou a castanheira, próximo da ponte”. Depois da conversa ele indicou onde havia outras obras.
Prefeito José Maria diz que não sabia que a madeira utilizada na construção das pontes era castanheira
Prefeito José Maria diz que não sabia que a madeira utilizada na construção das pontes era castanheira
Novos crimes
Decidimos continuar a viagem, desta vez  no ramal principal do Caquetá que interliga a região do sul do Estado do  Amazonas com a cidade de Porto Acre. Não demorou muito para os fiscais descobrirem mais indícios do crime ambiental. Na Terceira ponte encontrada, as pranchas estavam na cabeceira da ponte, prontas para serem colocadas no vão da passarela. Eram 31 peças de 4 metros. Na área não foi encontrado nenhum trabalhador nem quem levou a madeira.
Os fiscais do IBAMA  notaram que as peças foram serradas  a pouco tempo e desconfiaram que são castanheiras secas, aquelas que já morreram, mesmo assim seu corte é proibido, é preciso autorização do órgão ambiental para derrubá-las.
Em mais quatro quilômetros veio a quarta ponte. Mais 51 pranchas de castanheira, todas de quatro metros, prontas para fazer a parte superior da ponte. A castanheira tem madeira resistente e de fácil manejo, por isso é a preferida na hora de fazer uma construção. Os madeireiros geralmente fazem as peças para revenda no local onde a árvore foi derrubada, fica mais fácil transportar para o local da obra. O crime é comum na região onde tem castanhais, a diferença do Caquetá é que crime está sendo cometido pela prefeitura. O corte da castanheira é crime federal, um crime ambiental incalculável e inexplicável.
Quando estávamos para chegar em Porto Acre encontramos mais madeira de castanheira. Desta vez a ponte já estava concluída.  51 pranchas foram usadas.  Com aparelhos GPS e máquinas fotográficas, os fiscais do IBAMA registraram tudo e foram direto á prefeitura do município.
Documentos compovam as denúncias
Documentos compovam as denúncias
Quando o crime é do poder público
O prefeito de Porto Acre, José Maria Rodrigues recebeu uma notificação e vai ter que se apresentar na próxima quinta-feira ao chefe da fiscalização do IBAMA Adalberto Dourado, que recebeu a denúncia e foi investigar, e pode multar o prefeito de R$ 5 mil a R$ 20 mil por árvore.
O prefeito José Maria Rodrigues do PT informou que não sabia que a madeira usada era castanheira, apenas colaborou com a obra repassando pregos e combustíveis para os moradores da região que fizeram o serviço. “não tenho ideia do material usado, apenas ajudei os produtores”, indagou.
A desculpa do prefeito José Maria pouco vai adiantar para o IBAMA, o fiscal Evandro Bayer que preparou a notificação disse que a obra é de responsabilidade da prefeitura, e mesmo que sela tivesse apenas  ajudado, era obrigada a fiscalizar.
Violência ao meio ambiente
A região do Caquetá é rica em castanheiras que chegam a atingir  60 metros de altura e sua base pode chegar 4 metros de diâmetro. Com as pastagens os campos foram abertos e centenas delas estão morrendo, sem a vegetação ao seu redor a castanheira não resiste. Muitas delas são cortadas dentro da mata e vendidas clandestinamente, o pior mesmo é quando o crime é cometido por quem deveria protegê-las, no caso, o poder público.
Fonte:

quinta-feira, 10 de fevereiro de 2011

Nasa comprova que um cochilinho à tarde pode melhorar a atenção, a memória e o humor

Sentir vontade de cochilar depois do almoço não é coisa de preguiçoso nem de glutão: especialistas explicam que é normal sentir sonolência no meio da tarde, devido à queda de temperatura que o nosso corpo sofre nessa hora do dia. O grande problema é que, justamente na hora em que muitos mamíferos se espreguiçam longamente em baixo de uma sombra, a maior parte dos trabalhadores tem que voltar para o batente.
– É normal e fisiológico sentir sono depois do almoço - explica Lia Rita Bittencourt, médica do Instituto de Sono, na Universidade Federal de São Paulo, Unifesp. – Nesse período, além da queda da temperatura corporal, o processo digestivo libera algumas substâncias que favorecem a vontade de dormir.
Cochilar cerca de meia hora, no meio da tarde, pode melhorar a atenção, a memória, as habilidades motoras, o humor e a capacidade de tomar decisões. Segundo um estudo da Nasa, agência espacial americana, 26 minutos de repouso, em média, aumentam a produtividade em até um terço a capacidade de atenção em 54%.
Fonte:JB

terça-feira, 8 de fevereiro de 2011

Fim dos endereços de conexão à web coloca em risco crescimento da internet

Seg, 07 de Fevereiro de 2011 01:06


Sequências numéricas que identificam o acesso estão em fase de esgotamento no mundo
Até o final deste ano, em alguma parte do mundo, os endereços de internet como existem hoje, devem chegar ao fim.
Os domínios, aquilo que aparece depois do “www”, não serão afetados, mas sim os IPs – protocolos de internet responsáveis por criar ligações entre diferentes redes de computadores e outros aparelhos de acesso à internet, além de possibilitar a intercomunicação entre as máquinas.
Também não há chances reais de acontecer uma pane no acesso à web, mas a demora na migração para uma tecnologia substituta pode frear o atual ritmo de crescimento da internet.
O IP é o identificador da conexão e é importante para que o aparelho (computador, notebook, smartphone ou tablet) que acessa a rede seja localizado.
Cada vez que algum dispositivo se conecta à web é gerado um número de IP. O grande problema é que as combinações numéricas chegaram ao fim.
Quase todos os 4 bilhões de conjuntos de números possíveis de IPv4 , o nome dado ao sistema que define a sequência de números, já foram distribuídos pelo Iana (Internet Assigned Numbers Authority), uma associação internacional que entrega blocos numéricos de IPv4 para cinco entidades regionais.
No passado, a limitação do IPv4 nem preocupava tanto quanto hoje, porque na década de 70, quando o sistema foi criado, a internet era usada praticamente entre instituições de pesquisas.
Era impossível imaginar que, 40 anos depois a web fosse tão presente no dia a dia de milhões de pessoas. Além disso, o acesso à web por dispositivos móveis, como laptop, netbook e celulares, aumentou o uso de endereços IP.
Cada país tem um órgão que funciona como gerente dos endereços e pede à sua respectiva entidade regional a liberação das combinações para, mais tarde, entregar as numerações para provedores de acesso à internet. Nesta semana, a Iana atendeu a uma solicitação de uma dessas cinco grandes associações, a APNIC, administradora dos IPs de países asiáticos e da Oceania.
Foram dois lotes, dos sete últimos que sobraram do estoque de IPv4. Com apenas cinco blocos de IPv4, chegou-se à “fase de exaustão”, segundo a própria Iana. Isso significa que esses blocos foram automaticamente divididos em cinco partes iguais e distribuídos entre as cinco grandes entidades.
Essa regra serve para que nenhuma dessas regiões fique, pelo menos nos próximos meses, sem endereços IPv4 para distribuir. Isso evita que uma região onde a quantidade de acessos cresce mais do que nas outras, como é o caso da Ásia, levasse a maior fatia de endereços, deixando o restante do mundo sem combinações.
A divisão dos últimos blocos mostra que cada uma das cinco entidades vai ter de administrar a sua fatia até que ela termine, o que deve acontecer primeiro na própria Ásia.
A partir de agora, no Brasil e no mundo todo, mas principalmente os países asiáticos, começa uma corrida contra o tempo. A saída é outra tecnologia chamada de IPv6, já em teste em muitos lugares. Antonio Moreiras, coordenador do projeto IPv6.br, que planeja a implantação do substituto do IPv4 no Brasil, explica que é um exagero relacionar o fim da atual tecnologia de endereços de acesso a uma pane geral na web.
Não há risco de pane nem de fim da internet
O risco que se corre é de fazer com que a internet continue crescendo, de colocar novos serviços e novos usuários.
Uma vez que não haja IPv4, ou se usa o IPv6 ou então faz alguns “truques” de IPv4 para compartilhar o seu número, mas essa tecnologia às vezes traz problemas.
A vantagem é que o IPv6 usa um sistema de números em que podem ser combinadas 34 undecilhões – o mesmo que 340 seguido por 36 zeros – de formas diferentes, o que praticamente afasta qualquer problema futuro de esgotamento
O que é IP
Para fazer todas as atividades da internet, computadores, notebooks, celulares, smartphones precisam de um IP.
Que significa Protocolo de Internet. Cada IP é representado por um número conhecido como endereço IP, como se fosse a identidade da conexão. Do R7.com
 
Fonte:"ecosdanoticia"


busy

domingo, 6 de fevereiro de 2011

STILO CAPOTA NA ESTRADA DO ENTRONCAMENTO!

Hoje, por volta das 17:00 h, um carro modelo STILO de placa MZS1971, capotou na estrada vicinal que liga Xapuri à BR 317, na altura do km 06. Conforme depoimento do condutor, conhecido em Xapuri como Nelsinho, que trabalha na Casa Padre Cícero, ele procurou desviar de um pequeno buraco na estrada, e resultou em um acidente, onde o mesmo sofreu pequenas escoriações. O maior dano causado foi ao automovel, que pelo estado que se encontra, parece que vai ser destinado ao ferro velho. O motorista aparece na foto de camisa preta e bermuda jeans, com uma escoriação no braço esquerdo.