quinta-feira, 27 de outubro de 2011

Mestre em Manejo de Recursos Naturais afirma que madeireiras no Acre são operadas por “laranjas” de empresas internacionais

Mestre em Manejo de Recursos Naturais afirma que madeireiras no Acre são operadas por “laranjas” de empresas internacionais

27 de outubro de 2011 - 5:54:18Em uma entrevista publicada nesta quara-feira (26) pela EcoAgência de notícias ambientais, o professor da Universidade Federal do Acre (Ufac), mestre em Manejo de Recursos Naturais, Elder Andrade de Paula, afirmou que o manejo florestal praticado no Acre é operado com ‘laranjas’ de grandes empresas internacionais.
“Grandes empresas transnacionais operam regionalmente com laranjas, muito associadas ao poder local”… … “No Acre, o poder estadual foi capturado pelo agronegócio da madeira. O grupo que domina o poder desse estado há 13 anos tem o PT como liderança e está associado à importação da madeira”, disse
Elder de Paula diz acompanhar os impactos gerados pelos grandes empreendimentos nos povos da Amazônia e é categórico ao dizer que as comunidades locais não se beneficiam da exploração madeireira e energética.
“Digo com toda a segurança que nem a população camponesa nem os indígenas se beneficiam com a plantação madeireira na região. Ao contrário, elas têm sido extremamente afetadas por este movimento crescente de destruição das matas. Para se ter uma ideia, o projeto que é dito como modelo pelos ambientalistas de mercado no Brasil, difundido internacionalmente como modelo de exploração sustentável de madeira, de manejo comunitário, não atende à comunidade. Todas as famílias que vivem do Projeto de Assentamento Agroextrativista Chico Mendes estão cadastradas no programa Bolsa Família, apesar de praticarem o manejo comunitário de madeira há quase uma década. Segundo depoimento de uma das principais lideranças do projeto, a renda que essas pessoas obtêm anualmente com a venda de madeira é 2,500 reais porque vendem o metro cúbico de madeira a 90 reais para a Laminados Triunfo, que é a grande madeireira que domina este pedaço. Os 90 reais não são líquidos, porque as pessoas têm que pagar o serviço das máquinas”, disse o professor em um dos trechos da entrevista.
Elder Andrade de Paula é licenciado em Ciências Agrícolas, pela UFRRJ, especialista em Ciências Sociais com enfoque na Amazônia, pela Ufac, mestre e doutor em Desenvolvimento Agrícola e Sociedade. Atualmente é docente dos programas de Mestrado em Desenvolvimento Regional e de Ecologia e Manejo de Recursos Naturais, da Universidade Federal do Acre – Ufac.
Edmilson Alves, de Rio Branco-Ac
edmilsonacre@yahoo.com.br
Redação de ac24horas

Nenhum comentário: