quarta-feira, 17 de agosto de 2011

Aleac apóia realização de plebiscitos em Nova Humaitá e Campinas


Política
17/08/2011 08:57
Aleac apóia realização de plebiscitos em Nova Humaitá e Campinas
Abandono por parte das autoridades municipais seria o principal motivo do pedido de emancipação de líderes.
O presidente da Mesa Diretora da Assembléia Legislativa do Acre (Aleac), deputado Elson Santiago (PP), anunciou na sessão desta terça-feira, 16, que irá encaminhar nesta quarta-feira, 17, ofício ao Tribunal Regional Eleitoral (TRE) solicitando a realização de plebiscito para a emancipação política e administrativa das vilas Campinas do Acre, em Plácido de Castro e Nova Humaitá, em Porto Acre.

A decisão de apoiar a realização dos plebiscitos foi tomada depois da Mesa Diretora ser  alertada para o fato de que estes eventos foram aprovados pela Aleac em 1995, antes, portanto, da retirada da prerrogativa das assembléias estaduais em legislar sobre a criação de municípios.

De acordo com Elson Santiago, os plebiscitos para a emancipação de Campinas do Acre e Nova Humaitá só não foram realizados à época porque o então governador Orleir Cameli não disponibilizou os recursos necessários de R$ 200 mil. Na época, segundo Elson, também havia a disposição para emancipar o Segundo Distrito da Capital, que passaria a se chamar município de Pedro Paschoal.

O anúncio da realização dos plebiscitos foi feito ao encerramento de uma sessão especial com a participação de vereadores e comissões pró-emancipação das três vilas.

Abandono por parte das autoridades municipais seria o principal motivo do pedido de emancipação

 
Os representantes das vilas que pleiteiam emancipações têm como principal argumento a falta de atenção por parte das prefeituras a quem estão subordinadas.

O líder do movimento pela emancipação da Vila Campinas, o comerciante Gildomar Oliveira Gomes, conhecido como Charqueiro, conta que a localidade não tem sequer uma agência bancária para pagar a conta de luz. A vila possui pouco mais de 8 mil habitantes, e fica às margens da BR-364, a 60 km de Rio Branco rumo a Porto Velho.

“Na outra ponta da BR-364, nas proximidades de Cruzeiro do Sul, a Vila Santa Luzia, com 15 mil habitantes, quer ser a porta de entrada do Vale do Juruá”, defendeu o professor Nildson Costa, presidente da Comissão de Emancipação.   A vila possui atualmente 23,5 km de malha viária distribuídos por 30 ramais que serão transformados em ruas e bairros.

“Com a inauguração da ponte, que marca o fim de nosso isolamento, falta apenas a emancipação para sairmos do abandono e darmos lugar ao desenvolvimento econômico e melhoria da nossa qualidade de vida”, destacou.

A vereadora Jamislene  Vieira, de Plácido de Castro, lembrou que tomou parte da demarcação do território do futuro município de Campinas do Acre e não tem dúvidas de que basta sua emancipação para a chegada do sonhado crescimento econômico.

O vereador Paulino Barbosa, de Porto Acre, defendeu a criação do município de Nova Humaitá, lembrando que a causa tem o apoio de toda a população do município. Atualmente, segundo ele, Porto Acre é formado por quatro grandes vilas: Porto Acre, Vila do Incra, Vila Pia e Caquetá. O município de Nova Humaitá, de acordo com Paulinho, vai ter uma área maior do que Porto Acre e mais de mil quilômetros de ramais.
fonte:contilnet

Nenhum comentário: