segunda-feira, 13 de junho de 2011

Agora é lei: xênon proibido!

Muitos motoristas gostam de viajar à noite, mas têm medo de se envolver em acidentes por causa da escuridão. Uma solução para isso eram os faróis à base de gás xênon, já que produzem uma luminosidade até cinco vezes maior do que a luz amarela. Porém, na última terça-feira, o Conselho Nacional de Trânsito (Contran) proibiu a instalação desse tipo de iluminação em veículos. Apenas os carros que vieram com o acessório de fábrica poderão manter o uso.

De acordo com o responsável pela Vistoria e Emplacamento do Detran-PE, Leandro Inojosa, se o veículo possui a luz xênon, ofusca a visão do motorista que vem no lado oposto e acidentes podem ocorrer. Os proprietários que possuem essa iluminação, sem ser de fábrica, devem retirar o acessório. Quem desobedecer à lei será punido com multa de R$ 127,69 e cinco pontos na Carteira Nacional de Habilitação (CNH).

Em 2008, o Contran regulamentou a instalação de xênon, desde que o condutor seguisse alguns parâmetros, como a regulagem da altura do farol e autorização do Detran. "Mas os locais que colocavam o xênon começaram a cometer excessos e a instalação ficou desordenada", lembra Leandro.
A oftalmologista Fabiana Mahon confirma: acidentes podem ocorrer por culpa do farol. Quando os olhos são expostos a uma iluminação muito grande, ficam "marcados". Depois o condutor ainda ficará com uma mancha negra na visão por algum tempo. "E em pessoas com algum problema ocular, esses efeitos negativos duram mais", completa. Ela indica que "o condutor use a iluminação baixa do veículo e não olhe diretamente para o farol do carro do sentido contrário".
 Apesar de proibido, o xênon agradava muitos aos motoristas que tinham esse acessório. O contador Renato Alves, 27, utiliza a luz branca há dois anos. Ele sente que ela ilumina mais do que a amarela. "Não tem comparação". Renato fala que não teme a fiscalização. "Acho tranquilo. Mas se todo mundo começar a tirar o xênon, o jeito vai ser fazer o mesmo".

O gerente da Arthur Equipadora, Cláudio Santana, diz que, por mês, eram vendidos até 40 kits do acessório, por cerca de R$ 250 cada. "Com a proibição, esse movimento acabará", lamenta, achando que a postura do Contran não tem fundamento. Para ele, a iluminação só impede a visão do motorista se estiver alta e muito perto. "É um absurdo o cidadão não poder embelezar o seu carro da forma que bem entender", enfatiza. Ele não conseguia viajar à noite porque tem uma intolerância à luz amarela. "Com o xênon, eu não apresentava o problema".

Antes:
Podia instalar o xênon se tivesse a autorização do Detran;
Era preciso respeitar alguns parâmetros, como a regulagem da altura dos faróis.

Agora:
Uso deste farol está totalmente proibido em território nacional, com exceção dos veículos que vieram com o acessório de fábrica;
As luzes brancas instaladas depois da compra do veículo devem ser retiradas;
Multa é de R$ 127,69 e o condutor perde cinco pontos na CNH.
Fonte:Correio Braziliense

Nenhum comentário: