sexta-feira, 30 de janeiro de 2009

Nova Ortografia - Agora, quem nasce no Acre é "acriano", com "i"


Por Thaís Nicoleti
Quem nasce em Cabo Verde é cabo-verdiano; quem nasce no arquipélago dos Açores é açoriano. Observe a terminação da palavra, o sufixo "-iano". Segundo a convenção ortográfica anterior, quem nascia no Estado do Acre, no Brasil, era acreano e quem nascia na cidade de Torres, no Estado do Rio Grande do Sul, era torreense. Os sufixos, nesses casos, eram "-eano" e "-eense". O Novo Acordo vem uniformizar todas essas grafias, recomendando o emprego das formas "-iano" e "iense", já comuns em muitos termos. Assim, "acreano" cede lugar a "acriano", esta a única grafia correta agora. O mesmo vale para quem é natural de Torres, que agora passa a "torriense", com "i". Convém lembrar que os naturais da Guiné-Bissau, país africano de língua portuguesa, continuam sendo "guineenses". Do mesmo modo, os habitantes da Guiné continuam sendo "guineanos". Isso ocorre porque o nome "Guiné" termina com "e" tônico (veja-se o acento). A substituição do "e" pelo "i" dá-se somente quando o nome de origem termina em "e" átono (como "Acre").O que é relativo ao antigo Daomé, hoje Benim, também um país da África, é "daomeano" (a terminação em "e" tônico o não permite a sufixação em "-iano" ou "-iense").

quinta-feira, 22 de janeiro de 2009

O PERIGO DA ESCURIDÃO



A maioria dos seres humanos tem aversão à escuridão. Então quando se trata de escuridão por negligencia, aí o bicho pega. Imagine caro leitor, voce morar ao lado de uma central telefonica ou num raio de aproximadamente 200 metros, onde fica erguida uma torre que aporta antenas de telefonia, e mais ou menos 60 a 100 metros de altura, e que, por qual motivo ninguém sabe, ela permanece dia e noite, sem nenhuma sinalização, não existe uma lâmpada! Talvez a BRASILTELECOM esteja fazendo contenção de gastos com energia, ou o irresponsável pelo prédio não analisou o tamanho do perigo que ele está oferecendo a população de Xapuri. Pois é nessas condições de total escuridão, que vive a torre da BRASILTELECOM em Xapuri, situada na Rua 24 de Janeiro ao lado do colégio Divina Providência. Já é hora da população, fazer uma denúncia junto aos órgãos competentes, para que se ilumine a velha e majestosa torre, que iluminada, serve até de adorno para a cidade durante à noite, e a aviação agradece.

quarta-feira, 14 de janeiro de 2009

A PRINCESINHA DO ACRE!

Xapuri! A Princesinha do Acre, este é o título que o município de Xapuri ostenta, e que por mais de uma década passada, ele não estaria merecendo tal título. Razões múltiplas, que debito às administrações municipais desastrosas que houveram em Xapuri. A população sente as mazelas deixadas como herança política, e também espera renascer uma esperança de reconstrução, para que Xapuri volte a merecer tal condecoração. A cidade de Xapuri está em polvorosa, de um lado as frentes de serviços trabalham a toda vapor, para que a cidade vista uma nova roupagem, afim de receber os romeiros, que chegam de várias partes do Brasil, para se apegar mais uma vez, em São Sebastião, o padroeiro e santo milagroso de Xapuri. Nesta época do ano, a pacata Xapuri fica movimentadíssima, já que o comércio aquece suas vendas, com a chegada dos famosos "marreteiros", que além de venderem suas mercadorias, fazem parte do brilhantismo da festa do "Bastião", no dia 20 de Janeiro. Este ano de 2009, espera-se que os festejos de São Sebastião, seja um dos mais movimentados dos últimos 12 anos. Isto posto, é devido a nova Administração Municipal de Xapuri, estar atrelada ao Governo do Estado do Acre, no sentido de sacudir Xapuri nestes quatro anos vindouros, para que haja um desenvolvimento programado. Viva São Sebastião!!!!!

segunda-feira, 12 de janeiro de 2009

CONTRIBUIÇÃO PARA PROLIFERAÇÃO DA DENGUE



A dengue se alastra a cada dia que passa. Isto pode ser comprovado através das estatísticas em hospitais, ambulatorios e pronto socorro(apenas um), em Rio Branco Acre. As medidas de prevenção contra a dengue, são cuidadosamente divulgadas pela Saúde Estadual/Municipal, mas na prática o resultado torna-se outro, e por vezes muito inverso. Veja este criadouro de larvas de mosquito da Dengue, que está situado entre o Palácio Rio Branco e o Museu do Palácio da Justiça. Quer dizer nós munícipes, temos de acatar as instruções de prevenção com rigor, enquanto quem elabora deixa a desejar e muito. Daí a proliferação ter um índice de aumento a cada dia. Quem passa em frente ao PS da Capital, pode comprovar uma aglomeração de pessoas, que na sua maioria estão acometidas pela dengue, ou com sintomas da dengue . Lembrei-me do velho Bóris Casoy "Isto é uma vergonha"!
Click na imagem para aumentar.