quinta-feira, 2 de julho de 2009

PREÇO DO PÃO AUMENTA EM ATÉ 6%


Algumas panificadoras de Rio Branco reajustaram o preço do pão. O reajuste varia de 5% a 6%. Os produtores não conseguiram a isenção da tarifa de importação de trigo dos países que não integram o Mercosul.

Além disso, a indústria está pagando mais caro pelo frete, pois, como a Argentina parou de exportar (não quer mais exportar em grão), o produto está sendo comprado no Canadá e nos EUA.

Com isso, fica comprometida a intenção do governo de manter estáveis os preços de pães e massas, após anunciar, na segunda-feira, que estava estendendo o PIS-Cofins zero para esses produtos até o fim de 2010. Subindo o preço no atacado, a conta deve bater na inflação.
Abrahão Assis Felício, presidente do Sindicato das Panificadoras (Sindpan), disse que a variação de preço depende de cada empresário do setor. Mas o reajuste tem que variar de 5% a 6%, não pode ser superior a isso. Hoje, o quilo custa R$ 6, porém em algumas panificadoras o quilo já pode ser encontrado de R$ 7.

“O pão é um alimento cultural mais significante. O reajuste ficou a critério da cada um. O último reajuste do pão ocorreu tem uns dois anos. Agora, o trigo sofreu uma alta muito grande, porém baixou o preço e estabilizou em todo o Brasil. Ele está comercializado em São Paulo quase o preço que está sendo comercializado em Rio Branco”, disse.

O presidente enfatiza que, no Brasil, há 60 mil panificadoras que geram um capital de R$ 50 bilhões ao ano sendo compostas por um milhão de empregados. Um quarto da população entra em uma padaria todos os dias. No Acre, o sindicato é composto por 24 panificadoras.
Um aumento de 5% no preço do trigo pode ter impacto de 0,01 ponto percentual no Índice de Preços por Atacado (IPA), que compõe o IGP-M. (Ana Paula Batalha)
"jornalatribuna"

Um comentário:

Anônimo disse...

Interessante!