segunda-feira, 1 de junho de 2009

DISTÂNCIA FOI O PROBLEMA!


Distância foi o principal problema de
Rio Branco para ser sede da Copa

Com a escolha de Manaus como a sede verde da Copa de 2014, dificilmente Rio Branco entra na disputa para ser subsede. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), conforme explicou a turismóloga da Secretaria de Esportes Turismos e Lazer (Setul), Esleide Portela, defende que o problema da capital acriana é a localização distante de todas as sedes do evento.

“Por enquanto não há proposta para a candidatura de Rio Branco para nada. Mas algumas coisas ainda podem mudar depois do congresso que será promovido pela CBF”, acrescentou a turismóloga.

Segundo o secretário de Esportes, Cassiano Marques, os planos referentes à Copa de 2014 serão investir no turismo ecológico para os torcedores que aproveitarão o evento para conhecer a Amazônia.

No entanto, o arquiteto responsável pelo projeto Arena da Floresta, Luiz Volpato, revelou que a equipe organizadora da campanha não ficou satisfeita com a decisão da Fifa. “Quem briga para ser presidente não se contenta com cargo secundário.”

De acordo com o jornal O Globo, Rio Branco concorreu apenas para tentar aumentar sua exposição na mídia. O grande desejo da capital do Acre é receber alguma seleção que fizer seu primeiro jogo em Manaus e desejar realizar a preparação para a Copa na cidade. Sabia que não teria chance contras as rivais amazonense e paraense. (Gilberto Lobo)

Entraves para ser subsede
Com a escolha de Manaus como a sede verde da Copa de 2014, dificilmente Rio Branco entra no na disputa para ser subsede. A Confederação Brasileira de Futebol (CBF), conforme explicou a turismóloga da Secretaria de Esportes Turismos e Lazer (Setul), Esleide Portela, defende que distância da capital acreana para onde as seleções irão se hospedar é o maior empecilho.

“Por enquanto não há proposta para a candidatura de Rio Branco para nada. Mas algumas coisas ainda podem mudar depois do congresso que será promovido pela CBF”, acrescentou a turismóloga. (Gilberto Lobo)

Prêmio de consolação
Diante da acusação feita pelas candidatas cortadas pela Fifa, de manipulação dos resultados, o presidente da Confederação Brasileira de Futebol (CBF), Ricardo Teixeira, defendeu-se em entrevista ao JC on-line. Ele reiterou não ter participado da decisão. “Tive apenas (influência) como membro do poder executivo da Fifa. Votei a favor das 12 sedes em vez de 10, como é o normal.”

O presidente aproveitou e anunciou um prêmio de consolação para Florianópolis, Rio Branco, Belém, Campo Grande e Goiânia: elas poderão organizar futuros amistosos da seleção brasileira ou de receber eventuais treinamentos e até hospedagem de seleções estrangeiras durante a Copa de 2014. (Gilberto Lobo)

"JORNALATRIBUNA"

Nenhum comentário: