terça-feira, 18 de novembro de 2008

Não sabia quem eu era.
Era o desejo, era vontade. Virei feto. A barriga cresceu e eu nasci.
Hoje sou alguém no meio da multidão, mas descobri que não sou ninguém porque não tenho uma Certidão.
Pense nisso procure um Cartório Registre seu filho mostre para ele que ele não é ninguém ou alguém ele é o seu filho e que tem uma Certidão.
Texto escrito às 21 horas e 46 minutos no Município de Porto Acre(AC) (Projeto Humaitá – Vila do Incra) por Telma Regina de Moraes Pereira - Registradora da Serventia do Registro Civil das Pessoas Naturais.